Compartilhe

O que é Machine Learning?

As novas tecnologias caminham a passos largos para desenvolver produtos, soluções e tendências para todos os aspectos da vida no século 21. Uma dessas inovações tem se popularizado e, mesmo que não compreendida em sua totalidade, já se tornou tema recorrente nas rodas de conversa: o Machine Learning.

Machine Learning, ou Aprendizado de Máquina, é um dos braços de uma rede de dados complexa e funcional chamada Inteligência Artificial. É comum ver pessoas relacionando as duas coisas como se fossem sinônimos, mesmo se tratando de um erro.

Para que você entenda no que consiste o Machine Learning, elaboramos este artigo. Aqui você aprenderá o que ele é e as aplicações que têm tomado conta do dia a dia das empresas, mercado e cidadãos no mundo inteiro.

Então continue acompanhando.

[siteorigin_widget class=”WP_Widget_Custom_HTML”][/siteorigin_widget]

Diferença entre Machine Learning e Inteligência Artificial

Para começar a explicar o que é Machine Learning precisamos antes falar sobre a Inteligência Artificial.

Uma definição simplista e direta é que a IA é um mecanismo computacional que se baseia no comportamento humano para realizar tarefas, tomar decisões e resolver problemas. Isso quer dizer que a IA é uma espécie de computador usado para pensar como um ser humano.

Mas para chegar até este ponto, é necessário estabelecer uma relação de aprendizado entre os sistemas da IA para que ele desenvolva a percepção desejável. A forma de fazer isso é através da exposição e análise de dados.

É a partir daí que o Machine Learning começa a fazer sentido. O ML é uma vertente da IA que “treina” as máquinas e sistemas para aprender com os dados aos quais são expostos.

É correto dizer então que o Machine Learning faz parte da Inteligência Artificial, como um componente fundamental de um mecanismo mais amplo e complexo.

Existe ainda um desdobramento do Machine Learning chamado de Deep Learning, ou aprendizagem profunda que faz uso das redes neurais para novas oportunidades, tais como reconhecimento de fala, processamento de linguagem natural e visão computacional. Elas se complementam.

Mas este é um assunto para um próximo artigo.

Aplicação do Machine Learning

Nos últimos anos, temos sido apresentados a diversos mecanismos que utilizam o aprendizado de máquina ainda que não percebamos. É a prova de que a Inteligência Artificial estará presente em nossas vidas cada vez mais.

Os assistentes pessoais ativados pela voz desenvolvidos pelas empresas, como a Siri, da Apple, a Bixby, da Samsung, o Google Assistente, do Google e a Alexa, da Amazon são exemplos de sucesso do crescimento deste modelo de sistema que surgiu para facilitar o dia a dia.

A interação com estes programas tem como base o ML, que utiliza a rede de dados para modificar o comportamento de forma autônoma conforme a experiência do usuário.

Essa modificação comportamental baseia-se no estabelecimento de regras e conceitos lógicos para melhorar o desempenho de uma tarefa ou, dependendo da aplicação, tomar a decisão mais apropriada para o contexto.

Essas regras são geradas com base no reconhecimento de padrões dentro dos dados analisados.

Para exemplificar a ação do Machine Learning vamos imaginar a seguinte situação: um usuário costuma pesquisar muito sobre viagens. Em determinado momento ele procura por “São Paulo” em um mecanismo de busca, geralmente o Google.

Baseado no histórico de pesquisa e comportamento dessa pessoa, o computador entende que o que ele está procurando está relacionado com a cidade de São Paulo, e a partir daí gera resultados como dicas de roteiro, hotéis, passagens aéreas, etc.

Seguindo o mesmo exemplo da palavra “São Paulo”, imaginemos que outro usuário acessa constantemente sites esportivos e faz pesquisas relacionadas ao futebol. Neste caso, o computador analisará os dados e os resultados mais prováveis estarão ligados ao time de futebol.

Portanto, concluímos que o Machine Learning oferece soluções que se baseiam nos dados obtidos pelas experiências com as quais é alimentado.

Já deu para entender então como essa inovação tem tomado conta das nossas vidas, não é mesmo?

Machine Learning nos negócios

Cada vez mais comum, o ML abriu novas possibilidades para as empresas, afinal, seu uso ajuda a otimizar os resultados. Indústrias de segmentos como saúde, educação e e-commerce já aderiram à metodologia.

Entender como isso acontece é simples: imagine que um vendedor sabe exatamente os seus gostos e preferências. Isso dá uma grande vantagem para que te ofereça o produto que tem mais chance de te agradar, e por consequência, maior probabilidade de uma venda.

Bom, é exatamente isso que acontece quando o Machine Learning é utilizado de forma correta em uma estratégia de marketing e vendas de um e-commerce. Com seu histórico de compras, é fácil “adivinhar” os produtos que te agradam.

Além de facilitar e qualificar o lead, isso ajuda a equipe de vendas da empresa, melhorando seus resultados.

Abaixo listamos alguns dos serviços que utilizam a metodologia:

1. Plataformas de streaming

2. Serviços de navegação

3. Tradutores automáticos

4. Bancos e instituições financeiras

5. Assistência médica

Existem ainda muitos outros serviços que utilizam a análise e mapeamento de dados para desenvolver soluções, e a tendência é que isso se torne cada vez mais comum na vida das pessoas.

Agora que você já entendeu de forma básica o que é e como funciona o Machine Learning, como isso vai afetar a sua visão de mercado?