Compartilhe

Conheça os 8 erros mais comuns em um site

A internet é o meio de comunicação mais utilizado no mundo, não apenas como fonte de entretenimento, mas também com objetivos comerciais. Por isso, ter um site deixou de ser opcional e se tornou indispensável. Porém, se engana quem acha que criar um site é uma coisa simples. Ele exige planejamento e recursos que precisam atender as necessidades da empresa e do público. Pensando nisso, listamos erros mais comuns na construção de um site.

Mas, antes de começar a falar sobre os erros, sugerimos que você realize uma análise de desempenho da sua página, anote os resultados e, após ler este material, aplique os conceitos e refaça o teste. Se não sabe como realizar essa análise, inscreva-se no formulário abaixo e receba nosso modelo de análise digital.

Voltando ao tema que dá título ao post, se o seu site não está desempenhando um bom papel e os resultados previstos não foram alcançados, saiba que nem tudo está perdido. Abaixo, listamos os erros mais comuns na construção de um site que você pode estar cometendo.

1. Layout ruim

Um dos erros mais comuns na construção de um site é a falta de critério na criação do layout de uma página. Funcionalidade e estética não podem ser rivais na hora de desenvolver o site.

Ao mesmo tempo que de nada adianta ter um site bonito se ele não funciona, também não vale a pena ter uma página com muitas funcionalidades se o visual não agrada o usuário.

O seu site precisa funcionar corretamente para proporcionar uma experiência agradável ao seu visitante. No entanto, ele deve estar alinhado ao lado estético do projeto. Para isso, coloque-se no lugar do usuário e pense no tipo de página que você gostaria de ver. Não é preciso ser um designer para notar elementos desalinhados e desproporcionais.

Temas prontos do WordPress, por exemplo, podem não ser indicados para a sua empresa. Tudo vai depender das particularidades do seu site, então tome cuidado.

2. Tipografia variada

Este erro é recorrente em sites de desenvolvedores novatos, ou até mesmo, de quem não é desenvolvedor. Isso acontece porque no mercado existem plataformas prontas que oferecem muitas opções de fontes gratuitas, o que pode acabar empolgando a pessoa que está criando a página.

Essa mistura acaba gerando resultados visualmente terríveis como uma fonte para títulos, outra para subtítulos, uma terceira para o corpo do texto… ocasionando variações de estilos e peso das fontes que ao invés de atrair, afasta as pessoas.

Vamos lembrar que o Google penaliza as páginas que não conseguem reter os usuários porque entende que o site não é relevante. Portanto, utilize poucas fontes em seu site e mude o estilo apenas quando necessário, como para destacar um elemento de importância para a página que você quer que o visitante se atente.

3. Conteúdo escrito para mecanismos e não pessoas

Foi-se o tempo que as técnicas de copywriting para SEO recomendavam repetir palavras-chave e alongar o textos para serem melhor ranqueados pelo Google. Com o uso de inteligência artificial na interpretação de textos, os buscadores já separam muito bem conteúdo relevante e autoral de textos mal escritos e gerados por máquinas.

Então, a dica é construir um conteúdo que valha a pena ser lido, se aprofundando nas dores da persona para gerar valor.

4. Falta de pontos de conversão

Se você está criando um site é porque pretende estabelecer a presença digital da sua empresa, certo?

Para isso, você tem que estruturar suas páginas e conteúdos pensando em um caminho que leve o visitante a se tornar um cliente. O problema é que muitos sites não deixam clara a ação que esperam do usuário e nem facilitam para que ele tome uma decisão espontânea.

Então, a dica é pensar em CTAs (Chamada para Ação) que instiguem o visitante e, ao mesmo tempo, disponibilizar os pontos em que ele poderá ser convertido, como formulários de pedido de orçamento, materiais ricos, botão de ajuda e muito mais.

5. Não pensar em UX

Ao elaborar um projeto para um site, é preciso pensar além do design das páginas. Deve levar em consideração, muito mais do que a parte estética e visual, mas também se o usuário tem uma boa experiência.

Desenvolver um site baseado em UX é muito mais do que proporcionar um visual atrativo. Significa desenvolver uma solução completa para que o usuário consiga encontrar o que precisa, de forma fácil e prática. Até por isso, UX envolve diversas áreas de atuação como:

  • UX Writingárea de criação de conteúdo para melhorar a experiência do usuário em relação às informações textuais.
  • UI: área relacionada a tudo o que é visível ao usuário – ou seja, o layout.
  • UX Developer: desenvolvimento de ferramentas e soluções que afetam a experiência do usuário.

Tudo isso contribui para uma boa navegabilidade nas páginas, então defina os elementos e recursos que utilizará no site e considere:

  1. Replicar o padrão do menu, para que eles se repitam entre as páginas do seu site. Isso evita que o usuário tenha que clicar muitas vezes em voltar até a home.
  2. Agrupe o conteúdo em categorias usando a lógica, fazendo com que a resposta por uma procura seja a mais direta possível.
  3. Mantenha um padrão visual para que o usuário não fique perdido entrando em uma página cheia de elementos distintos a cada clique.
  4. Utilize itens de menus e elementos que facilitem o entendimento, como cores e ícones.

6. Site não é mobile-first

Já comentamos em outro artigo aqui no blog que hoje em dia estima-se que 3 a cada 5 pesquisas realizadas nos mecanismos de busca sejam feitas através de dispositivos móveis. Este é um dos principais motivos do Google ter adotado o Mobile First Index.

Por valorizar a experiência do usuário no site sugerido por ele, o Google entende que, como a maior parte dos acessos vem a partir de dispositivos móveis, se o site não for otimizado para isso, ele não deve ser acessado.

Por isso, a responsividade deixou de ser um diferencial e agora é um requisito obrigatório. Infelizmente, ainda hoje, é normal acessar páginas que não se preocupam com a experiência do usuário via dispositivo móvel e este é um dos erros mais comuns em um site que você tem que evitar!

7. Falta da CDN

A lentidão é um dos erros mais comuns na construção de um site. O Google vem privilegiando ao máximo a experiência dos usuários e o tempo de carregamento e estabilidade vem ganhando muito peso. O recomendado é que seu site carregue em cerca de 2,5 segundos, apenas. Só que alguns fatores impedem isso de acontecer e a falta da CDN é um deles.

Content Delivery Network (Rede de Distribuição de Conteúdo) é uma rede de servidores que armazenam o conteúdo de sites em forma de cache para entregar os dados aos usuários rapidamente. É uma espécie de servidor intermediário que usa a localização geográfica para conectar o usuário ao servidor mais próximo, e assim, diminuir o tempo de resposta e aumentar a velocidade do processamento.

Além disso, fazendo o uso de cache para salvar os dados de acesso anteriores, ela permite que as páginas sejam carregadas rapidamente, uma vez que não exige do servidor novas sessões.

Outras dicas para melhorar o tempo de carregamento do site são:

  1. Comprimir imagens para web sem que haja perda de dados.
  2. Diminuir requisições ao servidor. Os arquivos que constroem um site (imagem, Javascript, CSS, etc) geram uma requisição. Quanto maior o tamanho e a quantidade dos arquivos, mais recursos do servidor é necessário. Juntar arquivos (CSS, Javascript) menores em um arquivo maior ajuda a diminuir as requisições.
  3. Você pode instalar plugins e módulos com sistema de cachê para sites construídos em WordPress. Eles fazem com que arquivos carregados uma vez não sejam requisitados novamente ao servidor em uma nova visita. Isso ajuda a diminuir as requisições e o processamento do servidor, deixando o acesso mais rápido.

Em outro artigo, nós explicamos as maiores causas de lentidão de sites desenvolvidos em WordPress. Leia aqui!

8. Ausência do atributo alt nas imagens

Este recurso deve ser usado em imagens e serve como um “conteúdo de texto alternativo” para quando a imagem, por algum motivo, não “abrir” no navegador. O atributo alt também contribui para que leitores de tela descrevam para pessoas com deficiência visual o que representa a imagem, sendo um bom recurso de acessibilidade.

Além disso, ele é importante em questões de SEO, pois melhora a indexação dos sites nos mecanismos de busca. Deixar de preencher corretamente e inserir o atributo nas imagens prejudica o ranqueamento dos sites e a experiência do usuário.

Agora que você já sabe quais são os erros mais comuns em um site, que tal descobrir o que não pode faltar nele?

Aproveite e solicite uma avaliação da presença digital da sua empresa gratuitamente. Basta inscrever-se no formulário abaixo que nós nos encarregamos de te enviar os resultados baseados nas métricas mais importantes analisadas pelos mecanismos de busca.