Compartilhe

Saiba quais são as taxas do pagamento recorrente

O pagamento recorrente é um modelo de pagamento utilizado por empresas de vários segmentos e cada vez mais popular.

Ele pode ser visto em duas versões:

  • Por período indeterminado de contratação (com renovação automática mês a mês)
  • Por contrato que estabelece início e fim da contratação (com possibilidade de renovação ao fim)

Tome como exemplo dos modelos citados acima o serviço de streaming Netflix e a contratação de um plano de academia como o da Smartfit.

Enquanto no primeiro é feito a contratação do serviço por tempo indeterminado – com possibilidade de cancelamento/renovação mês a mês, o segundo é uma contratação por período determinado de plano anual.

De toda forma, as duas possibilidades oferecem ótimas condições aos clientes e traz benefícios ao negócio, como:

  • Redução de inadimplência
  • Fidelização dos clientes
  • Previsibilidade de receita
  • e muito mais

Além dos pontos destacados, outro aspecto favorável ao pagamento recorrente é que as taxas cobradas no modelo de recorrência são muito mais atraentes do que as do parcelamento tradicional.

Taxas do pagamento recorrente são menores

A cobrança na modalidade recorrente pode ser feita através do cartão de crédito, débito automático e do boleto bancário.

As taxas do cartão de crédito, que são cobradas pela operadora, são geradas por transação e acontecem tanto na recorrência através do cartão de crédito, quanto no parcelamento tradicional.

No entanto, existe uma diferença considerável no valor das taxas. Enquanto na recorrência é cobrada uma taxa de crédito à vista, que varia entre 1% e 2,5%, no parcelamento tradicional, elas variam de 2,9 à 7%. Isso acontece porque, no segundo caso, elas são definidas a partir da quantidade de parcelas feitas.

Já no caso das assinaturas efetuadas através do boleto bancário, existe uma taxa de emissão de boleto cobrada pela plataforma utilizada ou pelo gateway de pagamento. Os valores variam conforme a empresa contratada.

Em contrapartida, em novembro de 2020, chegou ao mercado brasileiro o PIX, um potencial parceiro das empresas que utilizam o pagamento recorrente.

Com ele, as transações acontecem instantaneamente e as taxas cobradas prometem ser ainda menores.

Pessoas físicas, por exemplo, podem pagar e receber por PIX de forma gratuita. Já no caso das empresas, cada instituição financeira pode optar por cobrar taxas diferentes, ao limite máximo de R$ 10 por transação.

E, mesmo que esses valores sejam variáveis conforme número de transações, ainda assim serão menores do que o praticado por outros meios de pagamento.

No final das contas, o PIX é mais barato que os demais meios de pagamento – como as taxas praticadas por operadoras de cartão e de emissores de boleto.

Se você deseja receber pelo PIX, antes de fazer o cadastro de suas chaves para utilização do sistema, pesquisa nas instituições financeiras a respeito das taxas cobradas e encontre a mais vantajosa para o seu negócio.

Tenha uma boa plataforma para cobrança recorrente

Para adotar o modelo de recorrência, você precisa usar uma plataforma que seja especialmente preparada para essa modalidade de pagamento.

O OD Vendas, por exemplo, é a nossa plataforma de vendas e gestão de pagamentos que te permite fazer o controle das assinaturas e automatizar os fluxos de cobrança para você não precisar se preocupar com nada.

Com o melhor custo-benefício do mercado, nossa plataforma é completa e vai te ajudar a vender como nunca. Veja o vídeo abaixo e conheça um pouco mais sobre ela!